sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

Reflexão/debate

Bom dia! Eis um pequeno texto que produzi para ensejar a reflexão e o debate.

O rito de autoanálise é fadado a não ter termo, posto que o objeto a ser compreendido - nós mesmos - não está disposto no mundo de modo concluso, embora alguns traços da personalidade tenham sempre contornos mais expressivos e sejam avessos a câmbios ligeiros. Se aquilo a que costumamos atribuir o nome de "eu" não é impermeável às influências dos seres adjacentes, a perquirição interiorizada deve intentar apenas uma compreensão geral do processo de mutação ininterrupta desta substância fugaz que imaginamos ser, renunciando a toda pretensão de uma leitura totalizante que dê cabo do sentido da nossa existência.

Nenhum comentário: