quinta-feira, 4 de julho de 2013

Turista

O turista tem diante de seus olhos uma fruta. Pode até tocá-la para sentir sua viscosidade entre os dedos; pode ainda sequestrar-lhe o cheiro momentaneamente, maravilhar-se com seu odor. Mas não pode morder a fruta, saciar a tentação do paladar. O turista paga para viver experiências estéticas incompletas, mesmo assim certamente não há melhor investimento para o seu dinheiro e para o seu tempo. 24/07

Nenhum comentário: