terça-feira, 2 de abril de 2013

Oração ao Acaso

Em primeira mão revelo um trecho de um romance que estou escrevendo. Este excerto é uma oração dedicada ao acaso e ela foi escrita por um personagem de índole cética.

Oração ao Acaso

Eu te escrevo apenas para organizar minhas próprias ideias, pois você – se é que você tem identidade, personalidade e essas coisas ligadas à subjetividade – não me escutará mesmo. Entrego em tuas sinistras mãos todos os meus projetos; confio minhas intenções à tua sapiente e surpreendente desrazão. Que o amanhã reserve-me sempre algumas doses de suspiro e que o teu supremo inimigo – O Tédio – nunca estenda sobre mim suas garras. Que as dádivas dolorosas com que me regalas não se estendam ao infinito. Que as tediosas alegrias com as quais me fustigas o corpo e a alma também sejam efêmeras para que eu não me iluda a crer que o indecifrável existir tem algum sentido perene. Que assim seja ou não seja.

Nenhum comentário: