terça-feira, 11 de setembro de 2012

Rios

Nem tudo que reluz é Douro.
Cintila mais, sem pejo, o Tejo.
Aqui, na civilização do couro,
Brilha todo riacho que sai do brejo.

Nenhum comentário: