quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Combatendo

Bebo um trago de esperança
Banho-me no lago do otimismo
Lutando contra a ânsia
Combatendo o imediatismo

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

O velho


Lá vai um velho a beber sozinho.
Enquanto bebe, chora e quase cai.
Será sua cicuta um reles vinho?
Lá vai a vida que se esvai...

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Corpo

Em homenagem ao meu cansaço, fiz esse poeminha pessimista para dele rir-me:

Este corpo que sou
É débil, muito frágil.
Num átimo soçobrou
Esta carcaça outrora ágil.

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Livros não lidos

A noção de que não poderei ler todos os livros que gostaria não me pesou tanto desta vez.

domingo, 4 de dezembro de 2011

Falso amigo


No riso do falso amigo
Costuma haver algo
Uma dose ou um pingo
De veneno amargo.

Pere(ser)


Há tempos nada o ser
Em fictícias vagas
Evitando o perecer
Fim de doridas sagas

sábado, 3 de dezembro de 2011

PALAVRA


A palavra que falo é incauta
Não diz e diz-me à revelia
Há sempre um quê que falta
Ou qualquer coisa em demasia