terça-feira, 26 de abril de 2011

...

Enforcamo-nos em verdades
Que tomamos por deidades.
Enforcamos por veleidades
Que inflam as vaidades.

Problema

Penso num problema
Preparo um esquema
A mente teima, pena
Para quedar no tema.

segunda-feira, 4 de abril de 2011

Sport X Santa Cruz: uma pequena análise

O jogo de ontem me fez pensar um pouquinho e, como sou professor, veio-me à mente uma analogia para explicar o que achei do dérbi.

Comparo o Sport e o Santa com dois alunos. O primeiro é aquele que numa prova faz todos os cálculos corretos, mas na hora de chegar à resposta certa confunde-se. O segundo é o aluno que diante de um problema matemático dispensa o cálculo por escrito e vai direto ao resultado.

Fiquei com a impressão que o Sport teve mais chances de gol do que o Santa Cruz. Magrão fez apenas uma grande defesa, enquanto Tiago Cardoso realizou umas cinco defesas extraordinárias. Bem, neste caso, mérito do Santa Cruz que soube defender-se das investidas rubro-negras e não perdeu as chances quando elas apareceram. Mas se o arqueiro tricolor não fosse tão bom, o resultado da partida de ontem poderia ter sido um empate de dois gols para cada equipe.

Sou obrigado a dar o braço a torcer, ou melhor, sou obrigado a parabenizar os torcedores do tricolor do Arruda pelas duas importantes vitórias na semana passada.
 

sábado, 2 de abril de 2011

Jair Bolsonaro

Charge de Miguel do Jornal do Commercio - 02/04/2011
 
ps: o acesso direto ao site é apenas para assinantes

sexta-feira, 1 de abril de 2011

Concepção fenomenológica da Educação

Segue o link para o texto "Concepção fenomenológica da Educação" de Antonio Muniz de Rezende. Disponibilizo o texto na internet porque ele está esgotado.

http://www.4shared.com/document/ZIxjPspI/Concepo_Fenomenolgica_da_Educa.html

Transcrevo o texto de Augusto Novaski que aparece no livro à guisa de apresentação.

"Este livro do Prof. Antonio Muniz de Rezende é o resultado de um longo percurso acadêmico. [...]

Abeberando-se nas obras originais de Husserl, de Heidegger e de Merleau-Ponty, entra em contato pessoal com fenomenólogos do porte de Paul Ricoeur, Jean Ladrière, Alphonse De Waelhens, filósofos cuja influência vai ser decisiva no encaminhamento que dará ao seu estilo filosófico [...]

Sua atenção concentra-se mais em Merleau-Ponty. A estrutura do comportamento - obra clássica desse filósofo no que tange à crítica aos fundamentos epistemológicos da Psicologia, do ponto de vista fenomenológico - parece-lhe a chave para de um lado aprofundar sesu estudos em Psicologia, e de outro fazer avançar a reflexão fenomenológica além de Merleau-Ponty. [...]

Agora sua pesquisa debruça-se sobre o fenômeno da Educação, [...] sobre as contribuições que a Fenomenologia pode e deve trazer para o esclarecimento da Educação e para o compromisso que a filosofia deve ter para com ela. [...]

O Prof. Rezende hoje não se diz fenomenólogo. Quero crer que a fenomenologia foi e é um estilo de pensar e de viver que o levou a ser um filósofo, um grande amante da sabedoria".