quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Ver as coisas como se fosse uma cadeira

Adoraria assumir a perspectiva de alguns objetos. Cada um a seu modo deve ou pelo menos deveria ter uma visão das outras coisas que compõem o mundo. Fico imaginando às vezes por que ângulo nos capta uma cadeira. Se assim fosse, o que nos diria?

Essa forma antropomórfica de perceber os seres inanimados pode oferecer no mínimo um pouco de divertimento. É um tipo de jogo que aguça a imaginação e faz correr o tempo. Ainda pode tirar de cena o ser narcisista que somos. É um modo de nos representarmos enquanto coadjuvantes. Quem sabe se deste exercício lúdico não nos ocorrerão compreensões novas e significativas?

Nenhum comentário: