sábado, 14 de agosto de 2010

A prisão

- Tu não sabe, tenho uma bomba pra te contar.
- Então conta.
- Sabe quem foi preso?
- Quem?

Entre o “Sabe quem foi preso?” e o “Quem?” uma enxurrada de idéias condensadas se precipitou na cabeça daquele que respondeu com outra pergunta. Um segundinho foi suficiente para que se arvorasse uma suposta superioridade moral, que sempre anda pegada com uma sádica satisfação.
- O Armandinho.
- O Armandinho? O Armandinho lá da casa de praia?
- Ele mesmo. Ele foi pego furtando no shopping. Passou até na TV!
- Que coisa! Eu nunca imaginei. Se bem que ele tava andando com uma galera nada a ver.
- Bota o nome dele na internet que tu vê.
- Mas rapaz! O Armandinho? Quem diria? Tá certo. Vou ver na internet. Valeu aí pelo toque.
- De nada. Mainha disse pra tu aparecer.
- Quando der eu vou. Tô trabalhando que só. Vou nessa, viu? Beijo.
- Beijo.

Em vez de acessar a internet, usou o celular. Ninguém do círculo de amigos da casa de praia ficou sem saber que o Armandinho estava em cana por conta de assaltos praticados contra madames no shopping. A anamnese de todos foi unânime: o Armandinho tinha traços psicopáticos em sua personalidade desde a infância. Ninguém pagou a fiança.

2 comentários:

Biu disse...

"Ninguém pagou a fiança."

Boa! Só tenho mais uma coisa a dizer em palavras que não são minhas:
"Pesa-me o informe real que existe"

Juliana disse...

Olá, tudo bem? Passei pelo seu blog, li e gostei muito. Sou educadora musical e me tornei sua seguidora. Depois faça uma visita ao meu blog.