sexta-feira, 8 de janeiro de 2010

OS DESAFIOS DO ENSINO DE FILOSOFIA NO ENSINO MÉDIO

A filosofia é, por excelência, uma disciplina cujo desenvolvimento depende da situação pedagógica. Devido ao seu caráter eminentemente dialético, a filosofia progride na mesma medida em que o debate honesto se instaura. Diríamos que o laboratório da filosofia outro não é senão aquele em que duas ou mais pessoas se associam com o desejo sincero de analisar um problema a partir das suas bases, das suas causas e dos seus sentidos.

Tais reflexões não podem prescindir, é verdade, da contribuição daqueles que à filosofia têm se dedicado ao longo de sua extensa história. Com efeito, há problemas filosóficos, como o de saber o que é a Justiça ou o Conhecimento, por exemplo, que vêm sendo pensados e discutidos desde os albores desta disciplina e, não obstante as geniais respostas que já foram dadas, outras respostas podem ainda enriquecer a reflexão. No entanto, alguns dos problemas com que temos de lidar nos dias atuais sequer foram imaginados por pensadores da estirpe de Platão, Aristóteles ou Descartes. Neste caso, urge que assumamos a tarefa preconizada por Kant, qual seja, a de ousar saber.

Com a recente inclusão da filosofia no currículo do ensino médio das escolas brasileiras, esta ousadia a que nos incita Kant deve ser assumida e compartilhada tanto pelos professores quanto pelos alunos. Da reflexão filosófica esperamos que nos diga algo de relevante acerca dos problemas que perpassam o nosso cotidiano como, dentre outros, o da tecnologia e o do preconceito, pois ela tem como uma das suas especificidades o poder de ampliar a nossa capacidade de formular conceitos com e a partir dos quais questões de alta importância, como as citadas, podem ser avaliadas de maneira mais profunda do que a do senso comum.

Isso posto, quer nos parecer que um dos desafios prementes do professor de filosofia é o de apresentar esta área do saber como algo que pode fazer parte de modo bastante concreto da vida corriqueira de seus alunos. Não há uma única opinião que emitamos que não possa ser posta em análise pelo pensamento filosófico. Ou seja, cabe ao professor desta disciplina desconstruir a idéia – muito em voga entre os seus alunos – de que a filosofia é apenas algo etéreo, abstrato e apartado do mundo real. Afinal, não há nada que se compare em concretude às idéias: sobre elas construímos todo o nosso agir, toda a nossa vida.

Cremos, com Kant, que não é possível aprender a filosofia, mas aprender a filosofar. Por esta razão, portanto, o maior desafio do professor de filosofia é o de provocar, estimular, acender em seus alunos o aparecimento da atitude filosófica, a atitude que não permite ao ser humano conformar-se com idéias frouxas, sem fundamentos; a atitude que nos impede que nos tornemos letárgicos e não tenhamos o que dizer diante das injustiças.

Em suma, a filosofia cumpre o seu papel no ensino médio se, ao fim desta etapa em sua formação, os alunos são capazes de, cada vez mais, se distanciar da superfície e se aproximar das raízes de sua própria realidade (o que implica um diálogo com outros saberes constituídos) e, com argumentos e idéias coerentes, contribuir e atuar eticamente sobre a mesma. De fato, esses desafios não são modestos. Mas tampouco é modesto o nosso desejo de uma humanidade mais crítica e menos autodestrutiva, e para isto a filosofia muito pode contribuir.

Jefferson Góes
Recife, dezembro de 2008

3 comentários:

Misturação - Ana Karla Tenório disse...

Bom dia Jefferson!
Conheço pouco de filosofia, mas o suficiente para concordar com você.
A filosofia pode ajudar a melhorar e engrandecer o pensamento humano, sendo assim um mundo melhor.
Filosofia já!
Gostei muito do seu blog.
Abraços.

Agnon Fabiano disse...

Excelente texto, Jefferson.

Dizia Kant que o filósofo prático, aquele que ensina a filosofia, é o verdadeiro filósofo.

O homem sem um mínimo de filosofia é como uma folha seca que varia conforme for o sopro do vento. Horácio, a respeito da filosofia disse que ela é igualmente proveitosa aos pobres e aos ricos e, quando desprezada, prejudicará igualmente meninos e velhos.

Nosso povo precisa de uma educação que mostre algumas "ferramentas" do pensamento ordenado.

Abraço.

JOSÉ RAFAEL MONTEIRO PESSOA disse...

Qualquer coisa que eu fale seria uma redundancia de suas ideias tao brilhantemente expostas. Logo, as roubarei - "Não há uma única opinião que emitamos que não possa ser posta em análise pelo pensamento filosófico."