sexta-feira, 20 de novembro de 2009

Os antibióticos e a história




Noite dessas num teatro, ouvi de um falastrão eminente do Recife que, em havendo antibóticos em meados do século XIX, mais precisamente o composto de Sulfametoxazol com Trimetoprima (Bactrim), o Brasil seria uma monarquia até hoje. Explico. Segundo o conversador, as vidas dos dois filhos de D. Pedro II foram ceifadas precocemente devido a crises fulminantes de amigdalite. Se o Imperador tivesse um herdeiro homem, em vez de uma filha casada com o estrangeiro Conde d´Eu, a República não teria nascido. Quanto reducionismo!

À semelhança da maioria dos sinistros aéreos, os processos históricos não podem ser explicados nem compreendidos apenas a partir de um fator isolado.Diferentemente disso, as transformações no curso da história são o resultado de uma confluência de fatores(econômicos, políticos, ideológicos, religiosos etc.). Cada um destes fatores é necessário, e nenhum é suficiente para conferir inteligibilidade ao passado. Qualquer obra especializada sobre a decadência do Império há de confirmar o que digo.

Nenhum comentário: