domingo, 15 de novembro de 2009

Críticos

Carta que encontrei num banco de um ônibus que peguei no centro da cidade ontem à tarde. Queria tê-la escrito.

"Me sinto como um imbecil. A minha geração só tem doutores. Se lhes falo sobre a música X, o filme Y ou o livro Z, eles me respondem do alto da sua afetação com um 'hã?!' acompanhado de caras e bocas com os quais resumem a crítica negativa da obra da qual lhes falei. Ah, como queria ser afetado também!"

Um comentário:

Dodô disse...

também gostaria de ter escrito, jéfferson! Sabe, estou estudando para ser um crítico, mas não tenho tempo de ler literatura, dizer "sim" aos amores da vida, à admiração inocente. Todo olhar é corrompido pela necessidade de fazer analogias com textos em busca de um cientificismo hermético que nos isola do resto do mundo: o mundo dos críticos!