sábado, 26 de setembro de 2009

Réquiem

A vida gesta a morte
Em cada e toda parte.
A morte é um corte,
Sem adeus de quem parte.

No instante sem volta
Hei de ler para ninguém
Como ode à vida morta
Meu próprio réquiem.

Um comentário:

JOSÉ RAFAEL MONTEIRO PESSOA disse...

Brother... muito bom. Gostei muito mesmo.