sábado, 4 de julho de 2009

Gnôthi Seauton

Gnôthi seauton (conhece-te a ti mesmo) era o dístico afixado na entrada do Oráculo de Delfos; era também a divisa dileta de alguns dos sábios mais excelsos da Antiguidade.

Confesso, no entanto, que peno para fazer o que a máxima recomenda. Peno, peno e o que colho é apenas malogro. Não sei o que me ocorre, mas quando direciono o meu olhar para mim mesmo sinto que a minha miopia agrava-se absurdamente, de modo que a minha percepção progressivamente vai se debilitando mais e mais na mesma medida em que me torno hipermetrope e astigmata.

Vezes há em que ao tentar ter de mim mesmo uma visão profunda, fico com a impressão de que me vejo num daqueles espelhos que nos deformam a figura. Minha tarefa nessas ocasiões é buscar, em vão, recompor-me.



2 comentários:

Anônimo disse...

Prezado Jefferson:

Entendo teu ponto de vista eis que, igualmente a ti estamos irmanados nos primórdios da evolução. Lembra-te de que alguém muitíssimo mais iluminado que a maioria dos mortais, já na Grécia antiga, ao ser denominado o mais inteligente dos homens declarou em alto e bom som: "Só sei que nada sei".
Assim, inspirado pela maiêutica socrática, porfiemos em nosso início de aprendizado, confiante de que a cada degrau alçado torna-se mais próximo o topo que nos caberá alcançar ao fim da eternidade...

Ibn ben Jamil

Jefferson Góes disse...

Obrigado pelo comentário, Ibn ben Jamil. Refletirei a respeito