sexta-feira, 20 de março de 2009

Um filho

Hoje cedinho, na famosa e formosa praia de Boa Viagem, refrescava-me eu, em pé, com um côco em minhas mãos e Sheila ao meu lado. Estávamos diante do mar. De repente, aproximou-se de nós um rapaz que vendia óculos escuros. Pensei, de imediato e equivocadamente, que ele me ofereceria um dos óculos do seu mostruário. Nem o deixei falar, recusei com um aceno. Mas mesmo assim ele falou. Disse-me: "De longe eu vi uma criança nos seus braços, mas agora só vejo um côco. Acho que foi uma visão". Falou e foi embora, orgulhoso como um profeta! Na hora só me lembrei da música de Raul Seixas: "Quem não tem colírio, usa óculos escuros"!

2 comentários:

Uma, Nenhuma, Cem Mil disse...

Ou, de fato, as palavras do desconhecido são/serão profecias,rs. Assim, o casal já está avisado-intimado-prevenido, os céus querem presenteá-los com choros, gofos e mimos de um filhote.

:p

Órion disse...

Coisas da vida, quem conseguir que explique.