segunda-feira, 30 de março de 2009

Sono

O Sono é o senhor dos sequestradores. Quando resolve agir, por mais que às vezes demore a dar o ar de sua graça, age de modo tão sorrateiro que nunca percebemos o instante exato em que dá o bote e nos leva embora a consciência.

3 comentários:

Jefferson Góes disse...

Em outros termos: nunca temos consciência do momento em que a consciência deixa de ser consciência.

teu disse...

kkkkk, bom o texto, e bom também o comentario do Jefferson.
Parabéns pelo blog, muito massa.

Anônimo disse...

Senhor, mas também Algoz...mas não seria o senhor também algoz? hum...
beijos