sábado, 28 de fevereiro de 2009

A Reflexão


A palavra “reflexão” vem do latim e significava originalmente, segundo o dicionário Aurélio, “ação de voltar para trás, de virar”. Com toda razão, usamos muitas vezes, no nosso cotidiano, esta palavra no sentido de “pensamento”. Quando alguém desenvolve uma reflexão sobre algo é porque está pensando sobre um tema.
A atitude reflexiva é fundamental para o desenvolvimento da filosofia. Poderíamos dizer sem nenhum exagero que a filosofia é filha da reflexão. Ou seja, não haveria filosofia sem reflexão. Mas, em filosofia, a reflexão pode acontecer de um modo bastante curioso e incomum: ela pode se manifestar como reflexão sobre a reflexão, isto é, como o pensamento sobre o próprio pensamento. Como assim?
A reflexão filosófica ocorre realmente quando pensamos sobre os nossos próprios pensamentos e idéias. Um exemplo: quando desejamos saber o porquê de termos a tendência a temer tudo aquilo que é estranho, estamos nos fazendo um questionamento filosófico. Ao nos perguntarmos sobre o motivo de termos este sentimento, estamos refletindo a respeito de uma idéia e, com isso, pensamos filosoficamente.
Outro exemplo de uma reflexão filosófica: perguntar a respeito da veracidade de um pensamento aceito por todos. Em outras palavras, pensa filosoficamente todo aquele que se pergunta se o que a maioria das pessoas acredita faz sentido mesmo. A título de ilustração, lembremo-nos daquele pensamento terrível que até bem pouco tempo era bastante difundido em nosso país, mas que felizmente vem perdendo força. Estamos falando daquele pensamento que defendia a inferioridade das mulheres em relação aos homens. A pergunta sincera e honesta a respeito da verdade deste pensamento é uma pergunta de caráter filosófico. Além disso, também é uma reflexão filosófica desejar saber a razão que fez este pensamento discriminatório surgir.
Se pensarmos bem, veremos que a reflexão tem uma fortíssima relação com um aspecto bastante importante de nossas vidas. Trata-se do desejo que temos de construir a nossa liberdade. Afinal, somente podemos pretender ser livres se exercitarmos as nossas capacidades de optar, de escolher e de decidir. Precisamos refletir com cuidado antes de tomarmos uma decisão. Se não refletimos, não decidimos e apenas fazemos o que os outros nos dizem (como os computadores e as máquinas em geral) ou seguimos as imposições dos nossos instintos (como os animais). Sem reflexão não há decisão, e sem decisão não há liberdade. A reflexão, portanto, deve ser exercitada a todo instante, e é justamente este o propósito da filosofia.





Nenhum comentário: