sexta-feira, 10 de outubro de 2008

Poesia Sem Título

A tua métrica torta me excita.
Só ela me sossega - a tua rima.
Tua dança me cansa e me nina.
Tua vida: minha poesia favorita.

02/03/2007

Poesia dedicada a Sheilinha

Estrelas

Queria das estrelas
Um dedinho de fala.
Ou ao menos vê-las
De perto, na sala.

Da vida, falar-lhes...
Servir-lhes um drink
Sondando-as, entre os goles,
“What do you think?”.

Mas que me diriam elas?
“Oh, fuck you, we really don’t care”
Ou “We’re here man! What’s up? Tell us”
Sei lá, mas me diriam coisa qualquer.

Sim, não me negariam palavras
Assim como as rosas.
Tocariam-me deveras,
Quer grosseiras ou generosas.

* s/d (sem data)

Dualismo

Quero nascer no reino da tua alma
E viver nos domínios do teu corpo.
Com gosto servir-te-ei com calma
Afagos que irão, em ti, cor pôr.

s/d

Partida

Eu saio como quem parte,
Assim, definitivamente. "Adeus",
Digo, e me vou. De mim, uma parte,
Contudo, fica com os meus.

s/d

quarta-feira, 8 de outubro de 2008

Metáfora

A tal da metáfora vivifica
Inclusive uma  pedra.
A vida em si toda rica
Da metáfora brota, medra.

Tempo


De relógio, sou ponteiro.

Fujo do que busco: um norte.

E nisto, meu tempo inteiro

É todo parto e todo morte.

terça-feira, 7 de outubro de 2008

Vida

Deitado sob as estrelas,
Subo até as núvens
Para despencar delas.
Vida: eternos vai-e-vens...