sábado, 22 de novembro de 2008

Inventário

Texto de autoria de meu pai em homenagem ao meu avô.


Inventário

Entre o pai e o filho
e entre aquele
e seu predecessor
além da genética e da cumplicidade
outra geração em andamento
e a intermitência dos réquiens.

Pai,
contemplar teu corpo frágil
envolto em linho roto
e distendido-quieto sobre madeira-sem-lei-nem-rei
muito me comoveu.

Pai,
tua presença remanesce
em mim empobrecida a título de saudade.

Pai,
o que esperar do teu legado
além do meu singular ser
pretenso arremedo dessa
reverenciada simploriedade?

Admirar-te já me satisfaz.

José Tadeu de Góes

Nenhum comentário: