sábado, 12 de janeiro de 2008

Sala de aula

Um dia, estava eu a falar numa sala de aula para algumas crianças. Nem lembro se parolava acerca da Independência do Brasil ou da Lei Áurea. Nevermind! Crente que tava abafando, eu falava tanto que até babava de vez em quando. Inopinadamente, um aluno levantou a mão.

- Professor?
- Diga, meu filho.
- Por que o senhor não dá uma aula diferente?
- Diferente?
- É, diferente.
- Ah, é simples! Vamos fazer assim: eu falo e você presta atenção. Vai ser uma aula muito diferente!

Passados alguns anos – uns cinco – essa cena me veio à mente. E não sei o que pensar a seu respeito. Apenas sinto uma culpa mesclada com alegria numa ambivalência que me dá náusea.

Um comentário:

Sheila Bezerra disse...

Não há motivos para sentir culpa. Eu adoraria ter um professor que até babasse, "de quando em vez" na sala. Quanto à náusea, um chazinho de hortelã bem gostozinho resolveria? Amo-te!